(…)
Poeira do mar, a língua
De ti recebe um beijo
Da noite marinha:
O gosto funde em cada sazonado
Manjar a tua Oceanía.
E, assim, a mínima,
A minúscula
Onda do saleiro
Nos ensina
Não só a sua brancura doméstica,
Mas também o sabor central do infinito.

Pablo Neruda, Ode ao Sal


Partilhar nas redes sociais: